em

Como Usar Plantas para Melhorar a Qualidade do Solo

A utilização de plantas para melhorar a qualidade do solo é uma prática sustentável e eficiente, que contribui para a manutenção da fertilidade e saúde do terreno. Neste artigo, abordaremos algumas técnicas e espécies de plantas que podem ser empregadas com essa finalidade.

Adubação verde

A adubação verde consiste no cultivo de determinadas espécies de plantas com o objetivo de incorporá-las ao solo, aumentando sua matéria orgânica e promovendo a melhoria das condições físicas, químicas e biológicas. Essa técnica pode ser aplicada em diversas situações, como hortas, pomares, sistemas agroflorestais e áreas degradadas.

As principais plantas utilizadas na adubação verde são as leguminosas, como feijão-de-porco (Cajanus cajan), crotalária (Crotalaria juncea) e mucuna-preta (Mucuna pruriens). Além dessas, outras espécies podem ser empregadas, como nabo-forrageiro (Raphanus sativus) e aveia-preta (Avena strigosa).

Rotatividade de culturas

A rotatividade de culturas consiste em alternar diferentes espécies de plantas cultivadas em uma mesma área ao longo do tempo. Essa prática contribui para reduzir o esgotamento dos nutrientes do solo, evitar a proliferação de pragas e doenças específicas de determinados cultivos e promover a diversificação da produção.

Para colocar em prática a rotatividade de culturas, é importante planejar o cultivo de plantas com diferentes exigências nutricionais e características. Por exemplo, alternar leguminosas, que fixam nitrogênio no solo, com gramíneas, que têm alta demanda por esse nutriente.

  • Leguminosas: feijão, soja, ervilha, lentilha.
  • Gramíneas: milho, trigo, arroz, aveia.
  • Hortaliças: alface, couve, repolho, cebola.

Cobertura morta

A cobertura morta consiste na aplicação de materiais orgânicos sobre a superfície do solo para protegê-lo da erosão e reduzir a evaporação da água. Além disso, à medida que os materiais se decompõem, liberam nutrientes que são aproveitados pelas plantas cultivadas. A cobertura morta pode ser obtida a partir de restos vegetais ou adubos verdes cortados.

Uma das principais vantagens da cobertura morta é que ela proporciona um ambiente favorável ao desenvolvimento de organismos benéficos do solo (como minhocas e microorganismos), que contribuem para a decomposição da matéria orgânica e formação de húmus. Algumas espécies vegetais que podem ser utilizadas como cobertura morta são capim-gordura (Melinis minutiflora), leucena (Leucaena leucocephala) e braquiária (Brachiaria).

Plantas de crescimento rápido para recuperação de áreas degradadas

Em áreas degradadas, onde o solo perdeu parte de sua capacidade produtiva, é possível utilizar plantas de crescimento rápido para acelerar o processo de recuperação. Essas espécies ajudam a proteger o solo contra a erosão, aumentam a matéria orgânica e favorecem a atividade biológica do terreno.

Algumas plantas recomendadas para essa finalidade são: Acacia mangium, Eucalyptus grandis, Tachigali vulgaris e Mimosa caesalpiniaefolia. É fundamental escolher espécies adaptadas às condições locais (clima, solo e disponibilidade hídrica) e que não sejam invasoras ou apresentem risco de causar desequilíbrios ambientais.

Jardinagem para Crianças: Introdução ao Cultivo de Plantas

Mandioca Frita: Crocante por Fora, Macia por Dentro